segunda-feira, 9 de março de 2009

O investidor, diante de uma encruzilhada

Seg, 09/03/09 por Alexandre Teixeira | categoria CDBsbolsacommodities

Voltando a um ponto que mencionei em um post da semana passada, o investidor brasileiro está diante de uma encruzilhada. A Bovespa voltou a entrar no vermelho (-1,19% no acumulado do ano até a última sexta-feira) e, como revela o FolhaInvest de hoje, o pico de rentabilidade do CDB ficou para trás, devido ao ciclo de redução dos juros e à menor necessidade dos bancos de captar recursos.

Em outubro, a rentabilidade média do CDB atingiu o ápice: 1,11%. Desde então, caiu e, em fevereiro, ficou em 0,81%. Mesmo assim, a procura pelos Certificados de Depósito Bancário tem crescido. O saldo dos estoques de CDBs cresceu de R$ 681,51 bilhões no fechamento de 2008 para R$ 722,69 bilhões no dia 5 de março. Faz sentido, visto que o CDB é um título de renda fixa emitido pelos bancos, ideal para o investidor conservador. E ele foi bombardeado pela oferta desses papéis pelas instituições financeiras, que precisavam captar recursos no momento de agravamento da crise. Mas, agora, a queda da Selic reduzirá o ganho do investidor que seguir apostando na renda fixa.

Hora de voltar para a bolsa?

Difícil dizer que sim. A maioria das ações recuou na semana passada.

Por outro lado, o preço das commodities deve voltar a subir no segundo trimestre, depois de bater no nível mínimo nos últimos meses. A expectativa se sustenta, ainda, pelo plano de estímulo à economia adotado pela China - ainda que sem o bombástico pacote de bondades que se esperava na semana passada. E commodities em alta são o melhor aditivo para a Bovespa.  

Fonte: Época Negócios

Nenhum comentário:

Postar um comentário